Justiça britânica determina o bloqueio do The Pirate Bay


São Paulo – A Suprema Corte do Reino Unido determinou que os provedores do país, como Sky, Everything Everywhere, TalkTalk, O2 e Virgin Media, bloqueiem o acesso de seus clientes ao seu site de compartilhamento de torrents The Pirate Bay. 

A decisão foi tomada após uma ação movida pela Indústria Fonográfica Britânica (BPI), organização que representa as gravadoras do país, em fevereiro deste ano.

“Sites como o The Pirate Bay destroem empregos no Reino Unido e reduzem o investimento em novos artistas”, afirmou a BPI em nota enviada à BBC. “Músicos, engenheiros de som, editores de vídeo etc. merecem ser pagos por seus trabalhos”, completa o texto.

Em novembro do ano passado, a organização já havia solicitado aos provedores que fizessem o bloqueio. Em resposta, a organização que representa os provedores disse que o bloqueio somente seria feito caso ordenado por ordem judicial.

Em nota, a Virgin, que surgiu como uma gravadora e distribuidora de fitas cassetes, afirmou que irá acatar a decisão, mas que ela não resolve o problema a longo prazo.

Lançado em 2004, o The Pirate Bay se tornou o site para o compartilhamento de torrents mais popular da web. Em 2009, seus fundadores foram condenados na Suécia por violar direitos autorais. Mesmo assim, o serviço continua no ar hospedado em diferentes países. As discussões em torno do TPB também foram responsável pelo surgimento do Partido Pirata no país, em 2006.

Fonte: Exame.com

NOTA: É o cerco se fechando. Primeiro tentaram aprovar o SOPA e o PIPA, quando viram que não iria conseguir conseguiram avançar um pouco com o ACTA, que de um certo modo compensa os efeitos da não aprovação dos dois projetos de lei anteriormente citados. Depois veio o fechamento do site Megaupload e outros sites de downloads ficaram ameaçados e agora o bloqueio do Pirate Bay. Tudo isso por uma ânsia de lucro de alguns gatos pingados que querem a todo custo manter seus lucros mesmo sabendo que pouca gente está afim de ficar deixando vários CD's empoeirar na prateleira ou pagar R$30,00(se fosse aqui no Brasil) apenas pra escutar duas ou três músicas que são preferidas. E o argumento de "destruição de empregos", chega a ser engraçado. Faz muito tempo que a indústria fonográfica não emprega tanta gente assim. Enfim, uma nova era na Internet se aproxima. E temo que seja muito nebulosa...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

ENEM 2015 e o orgasmo da esquerda festiva