ES conta com o maior porto exportador de celulose do planeta


Em um estado como o Espírito Santo, em que cada vez mais se fala nos gargalos situados nos diferentes modais de transporte ao invés das vantagens de nossa posição geográfica dita como estratégica para o nosso país, ler essa matéria do blog Logística é Solução, do jornal online Folha Vitória, serve como um fio de esperança no meio de um cenário nebuloso que promete ser formado por conta do fim do FUNDAP e de uma nova redistribuição nos royalties. Segue abaixo um trecho da matéria, sendo que as partes em negrito são as partes em que eu achei melhor frisar:

"O porto brasileiro referência para o mundo. A carne de Colatina famosa no Oriente Médio e o café que o mundo inteiro consome. Juntos, os portos do Espírito Santo formam um dos maiores complexos portuários da América Latina.[...]

“É um processo que vai retirar caminhões da rodovia, mais seguro e interessante para o meio ambiente”, comentou o coordenador de Logística da Fibria, Jovaldi Antônio Scalfoni.

É com essa logística que o Espírito Santo exporta mais de 2 milhões de toneladas de celulose por ano. A matéria prima é usada na confecção de guardanapos, papéis higiênicos e papéis-toalha: todos de grande absorção.

A produção de celulose no Espírito Santo é tão grande que é preciso trazer madeira de outros estados do país, como da Bahia. Cada barcaça transporta 5 mil toneladas de madeira de eucalipto a cada 12 horas. A movimentação diária tira 480 caminhões da rodovia.

Pelo mesmo porto, utilizado por três estados brasileiros, a celulose ganha o mundo. No ano passado, 69% de toda a celulose exportada pelo país saíram do local. A matéria-prima brasileira que vai para os Estados Unidos, Canadá, Ásia e Europa.

“Nós conseguimos fazer com que o custo total da celulose seja reduzido para que as empresas sejam competitivas no mercado mundial. Sem a Portocel, elas não poderiam mandar celulose para o Hemisfério Norte e não seriam competitivas com as indústrias que já estão lá”, explicou a diretora superintendente da Portocel, Patrícia Dutra Lascosques.

A produtividade gerou recorde mundial. Enquanto o Porto de Aracruz, no Norte do Espírito Santo, embarca em média 35 mil toneladas de celulose por dia, o principal porto do segmento na Europa embarca pouco mais da metade disso. O Porto de Baltimore, nos Estados Unidos, fica ainda mais atrás com o embarque de 16 mil toneladas diariamente.

“O Portocel é hoje o maior porto do mundo em produtos florestais e também o melhor porto do mundo. Nós somos referência para os outros portos em nível de produtividade, qualidade e segurança”, acrescentou a diretora superintendente.[...]"

Enfim, mesmo com os pesares que temos em nossa aparelhagem logística(aliás, problemas que ocorrem em todo o Brasil e que nós estamos mais que cientes que nem mesmo a proximidade dos grandes eventos, como a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 trarão a solução necessária para isso), temos um porto que serve de modelo para os pares aqui no Espírito Santo. Espero que o governador Casagrande, em conjunto com o governo federal, aproveite essa virada de cenário que o nosso Estado está passando para correr atrás do lucro (afinal, no prejuízo já estamos) e executar as reformas necessárias para que nós realmente possamos contar vantagem de nossa posição estratégica no quesito logística em nosso país.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou

ENEM 2015 e o orgasmo da esquerda festiva