Retrospectiva Jan-Abr 2012: Parte II - Do Schettino ao Protesto em Vitória "remix"

Mais um post especial sobre os fatos que marcaram os quatro primeiros meses de 2012. Vamos lá?

5 - Vada a bordo, cazzo!


A imagem acima mostra sobre o naufrágio do navio de cruzeiro Costa Concórdia, ocorrido no dia 13 de janeiro de 2012. O navio estava passando muito perto do litoral da Toscana quando chocou-se com rochas subaquáticas e então começou a afundar. O normal era que o comandante do navio comunicasse logo que o navio iria afundar e organizar todo o procedimento de resgate, certo? Pois foi o que o Francesco Schettino não fez. Ele foi um dos primeiros a abandonar o navio enquanto via tripulação e passageiros se desesperando a bordo daquela lata que pelas imagens internas que vi na TV, é muito bonita. Mas ele acabou se dando muito mal pela demonstração de cagada coragem covardia. Não só tomou uma baita bronca de Gregorio de Falco, capitão da seção operacional do porto de Livorno, como foi suspenso pela Costa Crociere e acabou em prisão domiciliar. Esse papelão todo teve como final 32 mortes(sendo que 2 corpos permanecem desaparecidos.

Abaixo, o diálogo e a bronca do Falco ao comandante cagão:


6 - SOPA, PIPA e ACTA


Calma, não estou xingando vocês. As duas primeiras siglas, conforme descritas na imagem, traduzidas para o português, significam Lei de Combate à Pirataria On Line e Lei de Proteção à Propriedade Intelectual, foram dois projetos propostos no ano passado e que tentaram colocar em votação já no início deste ano. Ambos os projetos possuem o mesmo intuito: combater a pirataria na internet. A questão é que neste caso sites de busca e até redes sociais poderiam ser punidas caso tivessem algum link que permitisse o compartilhamento de conteúdo pirata, sem contar que quem compartilhasse tal conteúdo poderia ser punido com até 5 anos de cadeia. Emissoras de TV, estúdios de filmes, gravadoras e editoras de livros eram(e são) a favor destes projetos de lei enquanto empresas de tecnologia como Google, Facebook, Twitter, Yahoo! e Mozilla eram contrários à medida.

No final, após uma série de protestos que levou até mesmo ao "apagão" de vários sites, o próprio governo norte-americano resolveu melar a aprovação dos projetos de lei com um comunicado da Casa Branca dizendo que não apoia os projetos pelo fato de que estes reduziam a liberdade de expressão, aumentam o risco da cibersegurança e diminuem a inovação na Internet pelo mundo(esse, de fato, era o temor que quem era contra essa "combinação de letrinhas"). Porém os sites de downloads de conteúdo, digamos, "alternativo" não saíram completamente ilesos. O Megaupload foi fechado, seu dono, Kim Dotcom, preso(posteriormente foi colocado em condicional) e o Filesonic desabilitou os downloads. Em resposta o grupo Anonymous atacou diversos sites ligados ao governo norte-americano e a empresas que apoiam tais projetos de lei.

Outra medida polêmica, só que desta vez de alcance mundial, foi o ACTA(Acordo Comercial Anti-Falsificação, numa tradução livre). Tal acordo, que está em negociação desde 2007 mas ganhou destaque da mídia este ano pelo fato de se tentar acelerar a aprovação de tal mecanismo como forma de "compensar" os efeitos da não aprovação do SOPA e do PIPA. Tal tratado possui o apoio dos Estados Unidos, União Europeia, Japão, Coreia, Austrália, entre outros países. A crítica a essa acordo, é que alem de ter efeitos tão ou mais agressivos em relação ao SOPA e ao PIPA, suas negociações ocorrem em sigilo e envolvem uma minoria.

O fato é que tal situação deflagrada no início deste ano, como eu disse no post sobre o fechamento do The Pirate Bay pode instaurar uma nova era na Internet, provavelmente bem nebulosa...

7 - Mais protestos em Vitória


Mais uma vez, os "pobres e oprimidos" estudantes(em sua maioria) resolveram no início de fevereiro protestar contra o aumento das passagens. De início tudo parecia correr calmo e relativamente sob controle até que, pra variar, resolveram cagar no pau. O SETPES foi invadido, alguns pertences supostamente foram revirados e a polícia foi chamada. Após dez horas de ocupação e uma negociação com integrantes do Governo do Estado o prédio foi liberado. Mas durante a invasão houve tumulto e três estudantes acabaram sendo detidos, sendo que um deles acabou indo passar alguns dias na cadeia por desacato, resistência à prisão e posse de material explosivo (claro, o protesto é pacífico...). O pai de um deles fez uma defesa, digamos, bem patética da besteira feita pelo seu filhote, alegando que as manifestações eram "legítimas". Queimar ônibus com gente dentro em nome da "população"(por exemplo) é legítimo, correto?

Por hoje a retrospectiva termina. Amanhã ou depois continuo o flash-back dos fatos que marcaram o primeiro quadrimestre de 2012.

P.s.: Lembra do suposto "P2" que queimou o ônibus no primeiro protesto? Pois é, o "P2" era esse. E ainda querem falar de "manipulação midiática".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou

ENEM 2015 e o orgasmo da esquerda festiva