Chevrolet lança minivan Spin no Brasil


Depois de anos de serviços prestados às famílias e frotistas do Brasil, chegou a hora de Meriva e Zafira se aposentarem. Em seu lugar, a Chevrolet lança a Spin, que substitui a dupla de veteranas minivans de uma vez só. Para atender os clientes que prezam tanto o espaço para bagagens quanto o transporte de passageiros, a GM resolveu desenvolver versões com cinco ou sete lugares, em uma estratégia semelhante à usada pela Nissan com Livina e Grand Livina.

Totalmente projetada no Brasil, a Spin está em sintonia com as últimas tendências de estilo da Chevrolet global. Não é difícil encontrar semelhanças com modelos mais recentes da marca: a grade frontal avantajada e o desenho dos faróis lembram a S10 e as lanternas remetem a Agile e Cobalt. Apesar do parentesco exacerbado, a minivan tem personalidade própria, notada principalmente nos dois vincos que nascem na altura dos faróis e lanternas.

O interior se parece com o do Cobalt, inclusive em soluções controversas como o painel digital. O nível de acabamento também segue o do sedã, mas há vários porta-objetos distribuídos pela cabine, como convém a uma minivan. O porta-malas da Spin comporta 710 litros na versão para cinco passageiros, saltando para 1.668 litros com o banco traseiro rebatido.

Na versão com sete lugares, o acesso à terceira fileira é dificultado pela falta de um mecanismo que deslize o banco de trás, mas o espaço é suficiente apenas para levar crianças. O espaço para bagagens é sacrificado, caindo para 162 litros.

A Spin usa uma nova versão do motor 1.8 Flexpower, agora batizado com o sobrenome Econo.Flex. São 108 cv com etanol e 106 cv se a escolha for pela gasolina, ambos a 6.200 rpm. O torque máximo informado pela montadora é de 17,1 mkgf com etanol e 16,4 mkgf com gasolina, sempre com 6.200 rpm.

O monovolume terá duas versões de acabamento. A Spin LT sai de fábrica com ar-condicionado, direção hidráulica, airbag duplo, vidros e travas elétricas, banco do motorista com regulagem de altura, freios com sistema anti-travamento (ABS) e distribuição eletrônica de frenagem (EBD), rodas de 15 polegadas com calotas e coluna de direção com regulagem de altura.

Opcionalmente, a minivan terá rodas de liga leve, rádio CD Player com reprodução de arquivos em MP3 e Bluetooth, câmbio automático de seis marchas - emprestado do Cruze - e piloto automático. No caso da Spin LTZ, além dos itens que recheiam a LT, há a terceira fileira de bancos, rack de teto, computador de bordo, sensor de estacionamento e volante multifuncional. A lista de opcionais da versão LTZ é a mesma da LT.

Fonte: Exame

NOTA: Na boa, essa frente estilo pick-up nos novos carros da Chevrolet me irrita...Será que não sabem adequar a frente ao tipo de carro (bem como ao público que se quer atingir, o que inclui os clientes que normalmente comprariam a aposentada Zafira)? E sem contar no novo motor, um 1.8 8V com 106/108cv...Até o jurássico motor 1.8 Flexpower oferecia mais potência (112/114cv). Ou seja, um tiro no pé considerando que o carro é mais pesado. Isso sem contar que o carro não oferece apoio de cabeça pra quem senta no banco traseiro, o que seria mais um retrocesso em relação a Zafira no caso. Enfim, me parece mais uma bola fora da montadora norte-americana aqui no Brasil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ENEM 2015 e o orgasmo da esquerda festiva

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou