Eurocopa: o que fazer para a Copa América ser tão grandiosa quanto?



Ontem tive a oportunidade de assistir à abertura da Eurocopa 2012 (ou familiarmente conhecida como Euro 2012 ou Uefa Euro 2012), com um jogo bem emocionante até entre Polônia e Grécia no Estádio Nacional de Varsóvia. Mas o assunto que comentarei hoje não é necessariamente o segundo torneio de seleções mais importante do mundo (perdendo apenas para a própria Copa do Mundo) e sim o que a Commebol precisa fazer para tornar o torneio continental de seleções tão importante e visível quanto o similar europeu. Apresentarei algumas aqui:

1 - Época de realização

Realizar a Copa América no ano posterior a da Copa do Mundo por si só já ajuda a diminuir a visibilidade do torneio. Pelo fato de estar muito distante da edição posterior do Mundial da FIFA, não tem aquele "quê" de termômetro de nível das seleções que o torneio europeu tem. O ideal seria que o torneio fosse disputado no mesmo ano da Eurocopa (talvez um mês antes ou um mês depois da mesma, dependendo do país onde fosse realizado o evento).

2 - Fórmula de disputa

Tudo bem que o modelo usado na Euro 2012, de 16 seleções com os dois melhores de cada um dos quatro grupos passando para as quartas de final ficará em desuso na próxima edição, quando o torneio passará a ter 24 seleções, mas vejo esse modelo como o melhor possível para a Copa América, tanto por abrigar uma parcela mais representativa das seleções de nosso continente como por ser de fácil entendimento por parte dos espectadores. Afinal, ficar fazendo contas para saber se sua seleção é a melhor (ou a segunda melhor) terceira colocada é um saco.

3 - Unificação com a CONCACAF

Isso facilitaria e muito o passo 2. Se antes as seleções das Américas Central e do Norte eram convidadas para participar do torneio, com isso teríamos eliminatórias para definir os países que se classificariam para a Copa América. Sem contar que isso aumentaria a representatividade do torneio no futebol internacional.

4 - Organização do evento

Pelo que vi dos primeiros jogos da edição atual do torneio europeu de seleções e também da edição de 2004, a UEFA leva muito a sério a organização do evento. É só observar a estrutura dos estádios, o estado do gramado, entre outras coisas. Até a cerimônia de abertura é feita de tal forma de que o torneio tenha uma cara de "Mini Copa do Mundo". Coisa que a COMMEBOL não faz. É só ver que na última edição do evento, em 2011, na Argentina, houve problemas elementares. O Estádio Monumental de Nuñez, onde foi sediada a final, teve de ser consertado às pressas porque no mês anterior ao evento uma confusão generalizada por conta do rebaixamento do River Plate danificou as arquibancadas, levando a organização a consertar às pressas a arena para que o local da final não fosse transferido. Isso sem contar o péssimo estádio da maioria dos gramados(incluso o do estádio de La Plata, onde se viu a patética disputa de pênaltis entre Brasil e Paraguai). Além disso o padrão dos estádios é bem inferior, se comparado aos estádios existentes no torneio europeu, o que com outras deficiências, mostra um certo amadorismo e despreocupação da Confederação com o evento, o que contribui com a diminuição da importância e visibilidade do mesmo. Uma forma de resolver esse problema seria seguir o modelo da UEFA ou mesmo da própria FIFA para a organização de eventos esportivos desse porte.

Então, você concorda ou discorda em relação a esses pontos? Sugeriria mais algum? Sinta-se a vontade para comentar neste blog ou na página oficial do mesmo no Facebook.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ENEM 2015 e o orgasmo da esquerda festiva

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou