Obra da Fábrica 747 ficará para o próximo prefeito


A conclusão das obras do Centro de Referência do Trabalhador, na antiga Fábrica 747, em Jucutuquara, que se arrasta desde 2005, agora vai ficar para a próxima administração. A Prefeitura de Vitória prorrogou o prazo do contrato por mais 184 dias. 

Com isso, a inauguração está prevista só para o ano que vem. A informação foi publicada nesta quinta-feira no Diário de Vitória. O prazo de conclusão já havia sofrido adiamentos por várias vezes

O município havia prometido a entrega parcial do centro em setembro deste ano, mas a primeira etapa só vai ficar pronta em dezembro. Essa parte inclui a infraestrutura do prédio, como instalações de água, luz, esgoto, além das salas administrativas. 

Segundo a prefeitura, a prorrogação da execução da obra foi necessária devido às duas greves dos trabalhadores da construção civil, que prejudicaram o andamento da construção. [...]

Mais cara

A obra – que estava orçada em R$ 19,7 milhões – ficou R$ 4,8 milhões mais cara em maio deste ano, depois de um aditivo publicado pela prefeitura. O acréscimo ocorreu por causa de problemas encontrados após demolição de parte do antigo prédio. 

A informação repassada pelo município é de que foi necessário remover a fundação, que não poderia ser aproveitada. 

Depois foi preciso fazer outro trabalho de remoção de rochas e de contenção de encostas, que apresentaram risco de desmoronamento, o que fez o processo ter o custo aumentado. 

Mas esse não foi o único acréscimo de valor na construção do Centro de Referência do Trabalhador ao longo dos anos. Outro aditivo foi publicado em novembro de 2009 e previa, na época, mais R$ 118.415,74. Parte do valor previsto para a obra – cerca de R$ 10 milhões – foi repassada pelo governo do Estado em 2010. [...]

Conclusão do centro vira promessa eleitoral

A conclusão das obras do Centro de Referência do Trabalhador – conhecido também como Fábrica do Trabalho – já virou até promessa de um dos candidatos a prefeito da Capital. 

No horário eleitoral gratuito do dia 14 de setembro, a propaganda do PT prometeu concluir "no menor tempo possível" as obras na antiga Fábrica 747, que o prefeito João Coser (PT) não conseguiu finalizar em duas gestões

A petista Iriny Lopes também afirmou em debate televisivo que a intenção é inaugurar a Fábrica do Trabalho no primeiro ano. Já Luiz Paulo (PSDB) chamou a obra de "palácio de R$ 20 milhões".


NOTA: Realmente a administração de João Coser está disposta a se notabilizar como a mais trapalhona na condução e gestão dos custos em obras públicas. É o Tancredão custando o triplo do valor inicial, é a indecisão quanto ao preço dos quiosques de Camburi (com o notável banheiro de R$90 mil equipado com vaso e pia), as desapropriações...E por falar de promessa, alguém ainda se lembra do metrô de superfície?!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

ENEM 2015 e o orgasmo da esquerda festiva