Casagrande quer Aeroporto de Vitória sob administração da iniciativa privada




O governador Renato Casagrande (PSB) fez um pedido ao governo federal para incluir o Aeroporto de Vitória na lista de concessões de terminais a serem administrados pela iniciativa privada. A solicitação foi feita ao ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt; ao presidente da Empresa de Planejamento e Logística, Bernardo Figueiredo; e ao presidente do BNDES, Luciano Coutinho.

Casagrande pretende ainda falar diretamente com a presidente Dilma Rousseff. "O lançamento do plano para aeroportos será no dia 20. Vou pedir para ela refletir sobre a entrada do nosso aeroporto por incapacidade de a gente responder com obras de forma objetiva no nosso terminal", afirmou.

O governador explicou que o pleito foi necessário, já que ele não está vendo as obras "andarem". Anunciada no final de 2004 e iniciada um ano depois, a ampliação do Aeroporto Eurico de Aguiar Salles foi interrompida por problemas burocráticos, suspeitas de desvio e falhas na elaboração dos projetos da construção.

Ele ressaltou que por oito anos há uma tentativa de andamento das obras com a administração pública, sem sucesso. Agora, segundo o governador, é necessário discutir a possibilidade da atuação da iniciativa privada para que os anseios do Estado sejam atendidos.

A responsabilidade do andamento da ampliação do terminal recai sobre a Infraero. A pendência da entrega do projeto executivo das pistas e do pátio das aeronaves, que seria feita pelo Exército, se arrasta por mais de três anos. Para ele, falta cobrança por parte da Infraero. 

O Módulo Operacional Provisório, o "puxadinho", que inclui novas salas de embarque e desembarque, está em funcionamento desde agosto de 2011. 

O restante, que inclui a ampliação do novo pátio, saguão, torre de controle e nova fachada, segue com previsão de entrega até 2015, oito anos depois da data prometida pelo Governo Federal.

Fonte: A Gazeta

NOTA: Pelo jeito parece ser uma das últimas (se não a última) cartada do governador Casagrande para dar um ponto final na novela que se transformou a obra do aeroporto de Vitória, que é considerado o pior aeroporto do Brasil. Quanto à concessão dos mesmos à iniciativa privada, eu particularmente vejo esse ponto como um "mal necessário". Na verdade quanto a parte de infraestrutura e logística vejo que o Estado deveria se resumir ao papel de organizar e fiscalizar, cabendo à iniciativa privada realizar as obras de construção e melhoria. Em um momento mais oportuno explico, de forma mais detalhada, o meu ponto de vista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

ENEM 2015 e o orgasmo da esquerda festiva