Faltam 99 dias para a Copa. E muita coisa a terminar

(Fonte da imagem: O Povo)
A contagem regressiva para o início da Copa do Mundo já chegou no tempo dos dois dígitos e continua correndo, mas o Brasil ainda está atrasado nos preparativos. Há sete anos, o País comemorou com pompa a atribuição do Mundial, mas o clima está bem diferente a 99 dias do início da competição, com atrasos preocupantes nas obras e protestos contra gastos excessivos com os preparativos do evento.

O desafio ganha importância ainda maior para o governo da presidente Dilma Rousseff, que prometeu que o País organizará a "Copa das Copas", no ano em que deve concorrer à reeleição. Cinco dos 12 estádios que receberão partidas da competição ainda não foram inaugurados, vários orçamentos tiveram o valor mais do que dobrado, e obras de mobilidade urbana ficaram pelo caminho.

Aos gritos de "não vai ter Copa!", manifestantes têm ido às ruas nos últimos meses para pedir mais investimento público em transporte, saúde e educação. O movimento começou em junho do ano passado, em meio à Copa das Confederações, preocupando a Fifa com a questão da segurança por ver protestos nas portas dos estádios em dias de jogos. Segundo pesquisa divulgada pelo Datafolha, a percentagem da população que apoia a realização do evento no País caiu de 79%, em 2008, para 52%.

A Fifa repetiu durante meses que todos os estádios deveriam ficar prontos em 31 de dezembro do ano passado, mas nenhum dos seis que não foram usados para a Copa das Confederações conseguiu respeitar esse prazo. Agora, cinco estádios ainda não foram inaugurados, e três (Curitiba, São Paulo e Cuiabá) devem ficar prontos em cima da hora, com pouquíssimo tempo para realizar eventos-testes. Os estádios de Manaus e Porto Alegre já estão quase prontos, mas ainda não foram inaugurados oficialmente.

Em Belo Horizonte, a chuva e o vento fizeram soltar parte das plantas e calhas metálicas que compõem a cobertura do Mineirão, o segundo estádio a ser inaugurado para a Copa. Várias placas se soltaram da cobertura e ao menos três caíram no gramado do estádio. Todas elas já foram retiradas. Ninguém se feriu.

Fonte: O Povo

NOTA: Alguém vê surpresa em relação a isso? Que mesmo com a enorme janela de tempo dada para os preparativos teríamos atraso em obras e gastos altíssimos em empreendimentos de qualidade no mínimo duvidosa? Ou que o legado para a infraestrutura e mobilidade urbana brasileira seria muito menor em relação ao esperado? Os "pessimistas", mais uma vez, estão com a razão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

O perigo do Brasil se tornar cada vez mais o paraíso de George Soros