Marina Silva começou com a faca e o queijo na mão. Eu avisei...

(Fonte da imagem: Poder Online)
Boa tarde pessoal. No último sábado, comentei brevemente sobre uma potencial escalada de votos de Marina Silva após a tragédia que matou o presidenciável Eduardo Campos na quarta-feira da semana passada, o que poderia ameaçar as chances de Aécio poder estar em um eventual segundo turno. Alguns até disseram que eu estava superestimando a força política da "sonhática", mas quem dera se eu estivesse realmente superestimando...

Como é de ciência de muitos, saiu a última pesquisa eleitoral feita pelo Datafolha nos dias 14/08 e 15/08 (confira aqui), já com os possíveis cenários de primeiro e segundo turno com a entrada de Marina na disputa. E, apesar dela não ter conseguido os 25% de votos que eu imaginava, as minhas sombrias expectativas parecem ter se confirmado: no primeiro turno ela está tecnicamente empatada com Aécio Neves (21% contra 20% do presidenciável tucano) e em uma simulação de segundo turno está tecnicamente empatada com a Dilma Rousseff (no limite da margem de erro de 2 p.p.: 47% contra 43% da candidata à reeleição). De fato, a maior luta de Aécio não é mais derrotar a Dilma no segundo turno, e sim poder estar no certame.

No mais, reitero tudo que disse na postagem anterior: pelo menos para mim e demais colegas direitistas (ou mesmo centristas e centro-esquerdistas) um eventual segundo turno entre Dilma e Marina seria, pelo menos no campo ideológico, um cenário completamente desastroso. Ambas tem praticamente a mesma posição política (com o agravante que a nova candidata do PSB tem um adicional de ecochatice). Em caso de uma eventual vitória da Marina, resta torcer por duas coisas: uma coalizão de governo tendendo ao centro (ainda que tenha que contar com o fisiológico PMDB, por exemplo) e uma eventual "carta branca" na área econômica para Eduardo Giannetti (o que, em tese, poderia sinalizar a volta do tripé macroeconômico).

É claro que a corrida eleitoral só está começando, e esse bom desempenho de Marina Silva pode ser "fogo de palha". Mas que não falta motivos para temer o que está por vir a partir de amanhã (início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV), ah, isso não falta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ENEM 2015 e o orgasmo da esquerda festiva

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou