Cheiro de necrose política no ar

(Fonte da Imagem: Greek Reporter)
Após a queda do grau de investimento do Brasil para o nível "junk" pela Standard and Poor's, a grande pergunta que surge a seguir é: Quando a Moody's fará o mesmo? Não que isso venha a fazer muita diferença pelo lado econômico, afinal, se a queda pela Standard and Poor's já era aguardado por metade do mercado, agora o rebaixamento pela Moody's é só uma questão de tempo e é uma certeza. 

Nada de mais grave deverá acontecer diante desse "re-rebaixamento", mas servirá para ratificar o caos econômico criado pelo manteguismo. Acumular o rebaixamento da Standard and Poor's e da Moody's pode ser encarado como uma situação análoga a dos incontáveis Doutor Honoris Causae recebidos por Lula sem nunca ter escrito nem mesmo uma redação de Ensino Fundamental. A diferença é que, se os prêmios acadêmicos de Lula supostamente estariam premiando uma inteligência prática, o "re-rebaixamento" estaria premiando a burrice prática do governo e sua horda de keynesianos mais keynesianos que Keynes, ou seja, Mantegas, Bresser-Pereiras e Belluzzos. Um grupo de fracassados que, com apoio de midiáticos vira-casacas como Delfim Netto, ainda dão as caras pelo país. Não é engraçado que quanto mais essa horda de economistas fracassa, mais eles se acham os donos do saber?

A grande preocupação do governo é obviamente impedir que a necrose econômica vire necrose política, algo que até mesmo os mais governistas do petismo já admitem. Porém, como diria Garrincha e suas majestosas pernas tortas: "falta combinar com os russos", e os russos trabalham na PF de Curitiba, local de onde já é possível sentir o cheiro da necrose no ar, e o cheirinho vem de Brasília.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não, Juan Arias. Dilma não se transformou

Dando-se tempo ao tempo: cadê as vantagens do porto de Mariel?

ENEM 2015 e o orgasmo da esquerda festiva